Skip to content

Prefeitura de São Paulo cancela feira de orgânicos do Ibirapuera

12/05/2014
feira ibirapuera

Feira de orgânicos do Modelódromo já existe há um ano e foi criada com permissão da Prefeitura. FOTO: SITE PARQUE IBIRAPUERA

No sábado passado, 10 de maio, os consumidores de alimentos orgânicos que foram à Feira do Produtor Orgânico do Modelódromo (Rua Curitiba, 292), no Parque do Ibirapuera, tiveram uma desagradável surpresa, pois a Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação da Prefeitura de São Paulo, responsável pelo espaço do Modelódromo, proibiu a realização da feira orgânica por ali. Os agricultores orgânicos, porém, avisados de última hora sobre o cancelamento da feira (na sexta-feira à tarde, dia 9), levaram seus produtos e, com o Modelódromo fechado e vazio (a pretexto de a Secretaria de Esportes ter dito que faria um evento para o Dia das Mães ali), fizeram suas vendas na calçada.

O motivo alegado para o cancelamento da feira, conforme o ofício (veja imagem abaixo) da Secretaria, é “prejuízo às atividades esportivas do equipamento, função legal que deve ser atendida e respeitada. Lembramos ainda que, obviamente em razão de questões técnicas, a legislação atual só prevê a possibilidade de instalação de feiras orgânicas em ruas ou parques municipais”.

modelodromo

O ofício foi enviado à Secretaria de Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo (SDTE), cujo secretário, Artur Henrique, vinha tentando encontrar soluções para a manutenção da feira orgânica no espaço, segundo o secretário executivo da Associação de Agricultura Orgânica de São Paulo (AAO), Márcio Stanziani. A AAO, juntamente com o Instituto Kairós e o 5 Elementos, participaram ativamente na organização da Feira do Modelódromo do Ibirapuera, além de outras entidades.

A feira foi instalada há pouco mais de um ano – com anuência da Prefeitura Municipal de São Paulo – e, desde então, cerca de 30 barracas de produtores orgânicos são instaladas ali, todo sábado, das 7h às 13h, para vender hortaliças, frutas, legumes, pães, bolos, laticínios, sucos e uma gama de produtos cultivados e processados sem o uso de agrotóxicos, adubos sintéticos ou outros elementos químicos, como corantes artificiais, prejudiciais à saúde.

Um desses produtores, Ernesto Akio Oyama, que cultiva hortaliças em Parelheiros (bairro no extremo sul da capital paulista), recebeu na sexta-feira, no meio da tarde, a notícia de que a feira estava cancelada. “A Abast (Supervisão Geral do Abastecimento) me ligou e, sem mais explicações, disse que a feira estava cancelada e que, se eu quisesse mais informações, deveria comparecer na segunda-feira, pessoalmente na sede da Abast, em São Paulo”, diz Oyama, que está indignado, pois, sem a feira, não terá como vender suas hortaliças. “A feira, para nós, começa pelo menos um dia antes. Temos de colher, embalar tudo, para sair daqui de madrugada e chegar lá no Modelódromo antes das 7h”, diz. O único lugar onde Oyama vende suas hortaliças é no Modelódromo, pois sua certificação orgânica só permite a venda direta ao produtor. “Avisar assim, de última hora, é um desrespeito total”, indigna-se Oyama, que esteve no Modelódromo no sábado, com sua produção, para vender aos consumidores. “É uma forma de protesto”, diz Oyama.

Já no sábado anterior a Feira do Modelódromo não foi realizada ali. Foi transferida provisoriamente para o Parque das Bicicletas, em Moema, porque a Secretaria de Esportes alegou que no Modelódromo seria realizado um evento de aeromodelismo que atrairia muita gente, segundo Oyama. “Os produtores ainda tiveram tempo de avisar, por meio de cartazes, aos consumidores, que a feira havia sido transferida”, diz o produtor. “E tivemos informações de que o evento de aeromodelismo estava totalmente vazio.” Conforme Oyama, os consumidores que se dispuseram a ir à feira no Parque das Bicicletas estavam indignados com a transferência e os que compareceram no sábado, dia 10, ao Modelódromo, também mostraram-se indignados.

Agora, as ONGs, abrigadas na Plataforma de Apoio à Agricultura Orgânica no Município de São Paulo, tentam uma audiência com o prefeito, Fernando Haddad, para ver se é possível reverter a decisão. “É bom lembrar que o Haddad, quando era candidato à Prefeitura, assinou um compromisso de apoio à agricultura orgânica no município de São Paulo e, recentemente, há cerca de um mês, reafirmou este compromisso, ao receber produtores orgânicos na Prefeitura”, destaca Stanziani, da AAO.

O pessoal ligado ao movimento orgânico, inclusive, está promovendo um abaixo-assinado pelo Avaaz, pedindo a volta da feira, que já tem quase 500 assinaturas.

A Secretaria de Esportes foi procurada por este blog, e justificou: “A Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação (Seme) informa que o Centro Esportivo Modelódromo do Ibirapuera não receberá mais a Feira do Produtor Orgânico. A realização da feira interfere no funcionamento do equipamento que é destinado para a prática esportiva e o lazer, gratuitos para a população. No próximo sábado (10) acontece no local o evento “Dia da Super Mãe” em homenagem ao dia das mães. A SEME disponibilizará exclusivamente neste final de semana o Parque das Bicicletas, localizado na Alameda Iraé, 35 em Moema para a realização da feira.”

 

Anúncios

From → feira orgânica

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: