Skip to content

Uma ONG que ensina várias técnicas sustentáveis. Gratuitamente.

11/12/2012
placa-permeavel-de-concreto.222

Placa de concreto permeável, feita de entulhos de construção. FOTO DE TÂNIA RABELLO

Sabão ecológico feito de óleo vegetal usado. FOTO DE TÂNIA RABELLO

Sabão ecológico feito de óleo vegetal usado. FOTO DE TÂNIA RABELLO

Cortina feita com embalagens de tetrapak e latinhas de alumínio. FOTO DE TÂNIA RABELLO

Cortina feita com embalagens de tetrapak e latinhas de alumínio. FOTO DE TÂNIA RABELLO

Sacolas feitas a partir de embalagens de tetrapak. FOTO DE TÂNIA RABELLO

Sacolas feitas a partir de embalagens de tetrapak. FOTO DE TÂNIA RABELLO

Maquete que demonstra como despoluir córregos sem retirar as habitações do entorno. FOTO DE TÂNIA RABELLO

Maquete que demonstra como despoluir córregos sem retirar as habitações do entorno. FOTO DE TÂNIA RABELLO

Placas de concreto permeáveis, telhados verdes, aquecimento solar de água ao alcance de todos, uma minicisterna para captação de água de chuva, telhas feitas de embalagens tetrapak, sacolas também de embalagens tetrapak, sabão de excelente qualidade feito a partir de óleo de cozinha usado e um sistema para ajudar a despoluir córregos em regiões urbanas ocupadas por moradias populares. Só isso?

O melhor de tudo é que a ONG Associação Ação e Cidadania Planeta 21, comandada pelo gestor ambiental aposentado Mauro D’Artibale mantém uma equipe de voluntários que não só dominam todas estas técnicas, como se dispõem a ensiná-las, gratuitamente.

A Planeta 21 estava presente na ONG Brasil 2012, entre 6 e 8 de dezembro, no Expo Center Norte, e chamou a atenção pelos banners que expôs no estande, onde mostrava o esquema de captação de água de chuva em minicisterna e também por causa do sistema de aquecimento de água via energia solar. Tudo a baixo custo e acessível a qualquer um, bastando para isso ter a disposição de por em prática tais sistemas.

O gestor ambiental Mauro D’Artibale explica que, além dele, vários integrantes da ONG são aposentados e não dependem da ONG para viver. Por isso a disposição de levar o conhecimento de cada um a quem precisa, gratuitamente.

Um dos projetos mais interessantes – e que inclusive já foi posto em prática em Guarulhos, município da Grande São Paulo – é o de despoluição de córregos de regiões periféricas de centros urbanos, “sem a necessidade de remover as moradias, é importante ressaltar”, diz. Uma maquete, feita 100% com material reciclável, em exposição no estande da ONG Brasil 2012, mostrava como funciona o esquema: uma tubulação é acoplada à tubulação que despeja o esgoto no córrego.

Esta água poluída é, então, coletada antes que seja despejada no córrego. “Como os córregos, via de regra, têm várias nascentes que os alimentam, a água que continua a ser despejada no riozinho provém de nascentes, ou seja, é água limpa”, explica, de maneira simples, o gestor ambiental. “Assim, a água fica limpa e cristalina e as pessoas, automaticamente, param de jogar entulhos e todo tipo de lixo que costumam jogar no córrego.” D`Artibale afirma que em um dos córregos no qual o trabalho foi feito já há até peixes.

Ele afirma, ainda, que conseguiu colocar este projeto de despoluição no Plano de Governo do prefeito eleito de São Paulo, Fernando Haddad (PT).  “Está lá. Agora temos de cobrar”, diz.

Em parceria com outras ONGs, a Planeta 21 também ensina a construir uma minicisterna para captação de água de chuva – o que permite grande economia de água tratada – e também um aquecedor solar – que, por sua vez, economiza energia elétrica.

Além disso, sacolas feitas a partir de embalagens tetrapak, cujas bordas são costuradas com panos coloridos ficam super-charmosas, e telhados verdes – uma solução para ajudar a melhorar o conforto térmico de grandes cidades, que consiste em instalar estruturas sobre os telhados das casas e sobre elas cultivar alguns vegetais – estavam expostos no estande da Planeta 21. Tudo feito também com material reciclado.

Falando em material reciclado, de entulho reciclado é possível confeccionar placas de concreto permeáveis – ou seja, que permitem que a água de chuva passe através dela e se infiltre no solo, reduzindo um dos principais causadores de enchentes, a impermeabilização do solo. Neste caso, a engenheira Alinne Prado de Oliveira, que também é voluntária parceira da Planeta 21, ensina como fazer estas placas. O e-mail dela é prado.alinne@gmail.com.

Já o telefone de contato de Mauro D`Artibale para interessados em contatar a ONG é (011) 99947-6963, e-mail mauro.dartibale@planeta21.com.br.

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: