Skip to content

Sobre o que nos ensinam as abelhas

16/05/2012

Abelhas. Trabalho coletivo inspira seres humanos. FOTO: DIVULGAÇÃO

Uma experiência em andamento no Sítio Duas Cachoeiras, de Guaraci Diniz e Cecília Camargo, em Amparo (SP), copia o que têm de mais marcante as abelhas: o trabalho coletivo em prol de um bem comum. O trabalho, idealizado por Guaraci – que no primeiro post deste meu blog, quando eu ainda o publicava no site do Estadão, qualifiquei como “o produtor mais orgânico que eu já conheci” –, reuniu vários voluntários justamente para beneficiar e proteger as próprias abelhas.

Trabalho importantíssimo, em tempos que, não se sabe por que exatamente, esses insetos têm desaparecido. Reportagem de Karina Ninni Ramos, no Estadão, é bem esclarecedora sobre o assunto. Uma das pistas, pelo menos em algumas localidades, é o óbvio ululante: o uso intensivo de agrotóxicos, que eliminam não só insetos que fugiram do controle populacional (por inúmeros motivos), como insetos que beneficiariam economicamente quem os elimina. Agora, alguns dias depois de postar esta notícia, permito-me atualizá-la com artigo de Fernando Reinach no Estadão. Segundo Reinach, baseado em estudos franceses, abelhas que recebem doses mínimas de um inseticida chamado thiamethoxan, comercializado em todo o mundo há mais de dez anos, ficam perdidas e não sabem mais retornar para a colmeia, colapsando a população de abelhas do ninho com o tempo.

Voltando a Amparo, explica-se: um belo dia Guaraci acionou seus contatos, por e-mail, e interpelou: quem se habilitava a salvar algumas colmeias que estavam abandonadas num pasto próximo e que seria roçado. O vizinho não queria eliminar as colmeias e consultou Guaraci. “Eu topei num impulso, para poder salvá-las”, conta o produtor, no e-mail que enviou para um grupo de possíveis voluntários. “Já fazia alguns anos que tentamos reunir seres humanos para construir e compartilhar vidas em uma área rural, numa ecovila”, explica Guaraci. “Até o momento não foi possível realizar esta tarefa, por isso tive a ideia de fazer uma ecovila de abelhas, para irmos aprendendo com elas como viver em grupo.”

O trabalho dos voluntários vai desde a contribuição financeira para comprar novas colmeias até o recolhimento dos enxames, transporte, colheita do mel, auxílio na Casa do Mel, onde se faz toda a manutenção do material das colmeias e tudo o mais que envolva a atividade, num trabalho coletivo – como o das abelhas – e sem interesse pessoal nenhum. Apenas sentir-se bem salvando os insetos e instalando-os na “apisvila” do Sítio Duas Cachoeiras, um pasto apícola imenso e silvestre, já que o sítio tem uma respeitável mata nativa reflorestada e tornou-se, recentemente, a primeira Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) da região.

Assim, quando as abelhas já estiverem bem instaladas e produzindo mel normalmente, Guaraci combinou com o grupo “e com as abelhas”, frisa, que compartilhará o produto conforme a contribuição de cada um. “As abelhas receberão mais, porque, afinal, são as que mais trabalham.”  Além do trabalho comunitário – a fim de preservar as abelhas e sua importante função ecológica, de polinização das plantas –, Guaraci destaca o que o pai da antroposofia, Rudolf Steiner, considerava a respeito desses insetos. “Eles são a expressão do amor incondicional verdadeiro e irradiam este amor para a humanidade deste planeta”. Quem quiser contribuir em irradiar mais amor pelo planeta, pode entrar em contato com Guaraci por meio do e-mail rppn@sitioduascachoeiras.com.br.

Anúncios

From → Tânia Rabello

7 Comentários
  1. Marco permalink

    Seu Pai me envio o link, que li com muito interesse.
    Parabens pelo seu trabalho. Mes atras estava lendo um artigo da mesma materia…”Pesticides hit queen bee numbers”

    http://www.bbc.co.uk/news/science-environment-17535769

    • Olá Marco, grato por suas considerações e também pelo artigo enviado!
      Tudo isto tem nos mostrado quanto ainda falta para esta nossa atual civilização evoluir em consciência, pode-se notar pelo artigo que vc enviou , que os países europeus e norte americanos, ainda precisam melhorar muito em comportamento. Grande quantidade de agrotóxicos produzidos nas empresas do EUA e da CE, mesmo proibidos na origem são amplamente oferecidos e vendidos na ásia e nas Américas central e do sul… se faz mal para todos os seres do planeta , porque continuam produzindo…? enquanto isto e mesmo que assim seja, continuamos por aqui fazendo uma parte, colocando e mantendo sementes para germinar… alguma semente via prosperar.

      Veja no link abaixo uma serie de reportagens que foram feitas sobre a questão da sustentabilidade, inclusive sobre algumas atividades do Sítio Duas Cachoeiras, por uma produtora independente de vídeo e que através de um projeto de apoio do governo de SP distribuiu estes programas em mais de 2.000 escolas públicas do estado e agora esta divulgando em canais de tv.
      Grande abraço! Paz

      http://ecohabitat.tv.br/portfolio/sitio-duas-cachoeiras/gallery/videos/

  2. inês castilho permalink

    Caros Tânia e Guaraci,
    acabo de pesquisar sobre a morte das abelhas para uma reportagem na revista Planeta, fiquei muito tocada pelo desastre que significa o desaparecimento desses nossos amados insetos! assim, contem comigo para divulgar tudo o que se relacione a orgânicos e abelhas! abraços, inês castilho (incas@uol.com.br)

    • O grande risco, Inês, e isso com certeza você pesquisou, é a própria espécie humana e todos os outros seres viventes que dependem dos frutos garantidos pela polinização das abelhas desaparecerem… Mas vou repassar seu e-mail ao Guaraci e anote o dele, caso queira contribuir com o trabalho que ele vem desenvolvendo no sítio: rppn@sitioduascachoeiras.com.br. Abraços!

    • Olá Inês, Todos do planeta ( mesmo os que não acordaram ainda) agradecem sua percepção sobre a necessidade de cada um de nós fazer algo, e este algo deve ser feito mesmo que aparentemente não pareça ter efeito. Hoje se vive muito de aparências… e as aparências enganam… Vá em frente! o que não é aparente é efetivo! Grande abraço .

      – estamos incluindo seu e-mail em nossa lista de amig@s, assim receberá sobre nossas atividades.

  3. Olá Tânia! agradeço a surpresa em receber este texto, escrito e construído com o carinho que voce sempre manifestou. Vejo também que já está aplicando o ensinamento das abelhas, polinizando os corações para que os frutos venham com amor. Grande abraço, Paz a Tod@s . Guaraci.

    • Bem, Guaraci, você sabe o quanto eu admiro o seu trabalho e fico feliz também em poder divulgar uma iniciativa tão bonita e que deveria ser seguida por muitos que se dizem orgânicos. Obrigada também pelo carinho e por me receber sempre tão bem em sua casa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: