Skip to content

Para quem vender o sítio de dona Ana Primavesi?

28/02/2012

Dona Ana Primavesi e eu, no sítio em Itaí. Foto de 21 anos atrás. CRÉDITO: KIM-IR-SEN

Para achar a foto acima, tive de abrir um velho arquivo de aço, movimentar várias pastas, em três gavetas, até encontrar um bloco de plásticos próprios para acondicionar slides. São duas fotos bem parecidas (achei que era uma só) e já estão para completar a maioridade plena, 21 anos: foram feitas pelo fotógrafo Kim-Ir-Sen, em 11 de abril de 1991, quando eu era repórter “foca” no “Guia Rural”, da Editora Abril, revista deliciosa de trabalhar, mas que infelizmente não durou nem dez anos. Estamos ali, na foto, eu, repórter iniciante, praticamente recém-formada, prestes a completar 25 anos. E dona Ana Primavesi, então com 71 anos, vigorosa, andar decidido, animada e senhora de um sítio muito especial em Itaí, município a 300 quilômetros de São Paulo, cujo acesso se dá pela Rodovia Castelo Branco, às margens da Represa de Jurumirim.

Nunca mais voltei lá. A única lembrança que tenho do sítio é justamente esta: as fotografias. Nem me lembro ao certo que reportagem havia sido escalada para fazer naquele dia com dona Ana Primavesi, que também era, aliás, colunista da revista. Mas lembro de ter recebido uma grande aula sobre as conexões da natureza, das plantas com o solo, com o meio ambiente, com a vida. E de ter reafirmado minha certeza de que seria eternamente ligada a esses assuntos.

Hoje, aos 92 anos, dona Ana Primavesi me pergunta se eu me lembro do sítio. Respondo a ela que não, só lembro da boa energia que trouxe daquela viagem. E ela me fala, com voz baixa e pausada, que a área é como um oásis rodeado do pasto das outras propriedades. Com os bons tratos que deu ao solo, eliminando terríveis voçorocas, e com o reflorestamento de algumas áreas, novas nascentes foram brotando ao longo dos anos. São cinco ao todo. “Basta cuidar bem do solo e do meio ambiente que a natureza responde”, lembro que ela me disse, em outra entrevista, há cerca de três anos, desta vez para o também extinto “Suplemento Agrícola”, do Estadão – que raios, será que veículos que cobrem a agricultura neste País nascem já com pena de morte decretada?

E, ainda naquela entrevista, arrematou: “Eu garanto que os cultivos orgânicos têm todas as condições de alimentar a humanidade. Era assim que o mundo se alimentava até a chegada da Revolução Verde. São tão produtivos quanto uma lavoura convencional e ainda preservam o solo. Um solo no qual a vida é preservada responde bem a qualquer cultivo.” Fico imaginando quantas vezes ela repetiu este mantra ao longo da sua vida e para que quantidade de gente. Resposta para as duas perguntas: infinitas e infinitas.

Dona Ana Primavesi, austríaca de nascimento mas com certeza uma cidadã do mundo, pelos seus ensinamentos e viagens aos cinco continentes para difundir a importância de preservação da vida do solo e dos cultivos orgânicos – em contraposição a todo o pacote tecnológico da Revolução Verde -, já não está mais morando no sítio. Resistiu por ali até 25 de janeiro deste ano, quando a família achou por bem trazê-la para São Paulo, no bairro do Campo Belo, onde mora sua filha, Carin. Uma casa ampla, com um grande quintal no fundo. Brinco com dona Ana Primavesi: “A senhora não vai resistir e logo vai tirar o gramado aí de trás para plantar um feijãozinho orgânico.” Ela sorri. E conta que, com sua saída do sítio de 96 hectares, por questões mais de idade do que de saúde, onde morou por 32 anos, todo o maquinário e o gado que mantinha ali já foram vendidos. Os piquetes e água para cada um deles, transportada morro acima com a energia limpa de uma roda d’água, não foram desfeitos. Uma lavoura de café ainda viceja, cuidada por um vizinho, e, na safra, atrai compradores da região, em busca de um café de altíssima qualidade. “Quem compra o café diz que a bebida tem um sabor especial”, arremata Carin, que nos acompanha na entrevista neste dia, na casa no Campo Belo. “Dizem que é melhor do que o café de terra roxa.”

Do sítio, além de saudade, dona Ana Primavesi trouxe também sua coleção de miniaturas de elefantes, ampliada a cada viagem à África, e uma respeitável biblioteca sobre agricultura orgânica, solos, agronomia e assuntos afins e afora. Todos os livros foram doados para a Associação de Agricultura Orgânica de São Paulo, que agora busca um espaço no Parque da Água Branca, na capital, para instalar a biblioteca. Carin não sabe dizer quantos livros foram doados pela mãe. Mas diz que dois caminhões cheios saíram de Itaí.

Assim como dona Ana evita entrar no assunto, que não lhe agrada especialmente, eu também pareço estar adiando o inevitável. Mas é isso. Vamos à questão: agora, o sítio da senhora que pode ser considerada a precursora do movimento orgânico no Brasil está à venda. A grande questão é: para quem vender um sítio tão precioso, de grande valor histórico e ambiental? Para quem vender uma propriedade que foi utilizada por dona Ana como laboratório vivo, para provar que a natureza, bem preservada, dá conta de garantir o sustento da humanidade? Para quem vender uma propriedade onde gerações de estudiosos e produtores tanto aprenderam sobre cultivo orgânico, solos e preservação ambiental? A família vê-se no direito de escolher um comprador para o sítio. Não vai vender para qualquer pessoa, que pode destruir todo esse patrimônio ambiental e agronômico.

Para tentar achar uma solução para a questão, nesta próxima sexta-feira, dia 2 de março,  um grupo de pessoas ligadas ao movimento orgânico no País vai se reunir na casa de dona Ana Primavesi. “Várias cabeças pensam melhor do que uma”, diz dona Ana, reafirmando a vocação para a preservação da biodiversidade. Entre as soluções aventadas, tentar encontrar algum grande empresário com mentalidade preservacionista, que transforme a área em polo difusor de ecologia. Ou algum grande produtor orgânico, que mantenha a linha adotada por dona Ana nesses anos todos. Sugestões são bem-vindas. E podem ser enviadas para os comentários deste blog.

Anúncios

From → Ana Primavesi

58 Comentários
  1. Vanessa Marceniuk permalink

    Oi Tânia! Td bem?
    E aí como ficou a venda do Sítio da D. Ana?
    Beijos

  2. Oi Tânia!!! Poxa…. me bateu uma dor no peito…. Foram tantos ensinamentos que tive desde 1988 com a Drª Ana Primavesi. Seu texto é lindo mesmo e por demais emocionante!! Abraços!

  3. José Buffo. permalink

    Oi, Tânia, já chegaram a alguma ideia de valor do sítio? Parabéns pela causa, pelo blog.

    José.

  4. Puxa Tânia que texto emocionante! Sou agrônoma, trabalho com Agricultura Natural e desde a faculdade admiro dona Ana Primavesi, lembro de assistir uma Palestra dela em um Encontro de Agroecologia há muitos anos atrás e, me sentir maravilhosamente bem na sua presença, ela tem uma energia tão boa! =D
    Espero de coração que encontrem uma boa pessoa para cuidar do Sítio!

    • Nós também esperamos, Vanessa. E, se puder compartilhar não só este post, mas o blog em suas redes sociais, agradeço. Assim mais gente fica sabendo e quem sabe alguém não se interessa em comprar o sítio? Bjs.!

  5. Fernanda Negrao permalink

    Oi Tânia!!! Adorei seu blog!!! Principalmente as matérias sobre a dona Ana! Quem sabe posso contribuir com algo? Me deu muita vontade de conhecer o sítio e fico pensando q muitas pessoas aprenderiam muito o visitando… seria um começo pra ganhar dinheiro e ajudar a mantê-lo, não?? Obrigada … Fê Negrão! Prima da Marina!

    • Oi, Fernanda, tudo bem? Lógico que eu sei quem você é! E que bom que gostou do blog. Se puder compartilhar e indicar, recomendar, obrigar (risos) as pessoas a acompanharem, agradeço! Sobre o sítio, agora, sinceramente, ele anda com cara meio abandonada. E seria legal ir pra lá com a dona Ana, como fomos desta vez,porque ela pode explicar tudo o que foi feito por ali. De todo modo, posso jogar para o grupo a sua disposição em participar, aí v. pode participar das reuniões e conforme as conversas vão acontecendo, encontrar um meio de ajudar. O que acha? bjs. e parabéns pelos filhotes, hein?

    • Fernanda Negrao permalink

      Ótima ídeia! Vou continuar acompanhando seu blog e por favor me avise das reuniões… se eu puder – entre uma mamada e outra – participarei! beijos

    • A próxima vai ser em Sampa, na última sexta-feira de junho, na casa da dona Ana, às 10h30. Beijos para você e pras crias!

  6. Oi Tânia, parabéns! me emocionou. Sou fã da Sr. Ana, estive com ela na inauguração da Escola Rosa Luxemburgo em Iaras/SP, foi um encontro de uma excelente maravilha, assim cantou um violeiro. Gostei muito de seu blogue. Abraços

  7. Léa Egret permalink

    Ola !

    Me nome é Léa, sou francesa e estou estagiando na Bahia com agricultura familiar e agroecologia.
    Eu me permito de te contar porque gostaria de poder entrar em contato com Ana Primavesi. Eu tive seu contacto atravesse do seu blog e do seu artigo “para quem vender o sítio de Ana Primavesi” (que eu gostei muito !).
    Eu sou estudante de Engenharia do Espaço Rural na França e vou validar minha graduação em setembro. Agora tenho muito a vontade de me especializar na área da Microbiologia dos solos para tentar de fazer minha parte contra a agricultura moderna. Por isso eu gostaria muito de poder entrar em contato com Ana.

    Você poderia me ajudar ?
    Você foi lha encontrar esse mês ?

    Agradeço muito pela resposta

    Léa

    • Léa, tudo bem? Enviei a sua solicitação para a filha da dona Ana Primavesi, a Carin, com quem dona Ana está morando agora. Se ela não retornar, por favor, me contate novamente.
      Obrigada por acessar o blog!

  8. Luciano Lobo permalink

    Tânia, meu nome é Luciano Lobo, estou iniciando minhas atividades com orgânicos agora, porém, o interesse vem desde pequeno quando conheci a Demétria e mais especificamente a um ano e meio quando busquei fornecedores de produtos orgânicos. Acabei de ver o seu blog e gostaria de trocar algumas idéias, experiencias e principalmente obter algumas informações, é possivel?
    Como podemos fazer?

  9. Régis Andrade permalink

    Que maravilha de texto, me emocionei com ele de ponta a ponta.
    Nos motiva à cuidar do planeta e de nossa saúde.
    Obrigado por existir.

  10. Tânia, a reunião saiu? Decidiram alguma coisa? Como está Dona Ana? Passei a admirar demais esta mulher fantástica!!! Se possível, põe o link da nova matéria aqui!! Grata!

    • Está marcada uma ida para o sítio da dona Ana neste dia 19 de maio. Vamos confirmar. Se formos, darei matéria a respeito. De todo modo, as reuniões têm ocorrido e entre as propostas que mais tomaram corpo está a de formar uma fundação que seria responsável pela gestão do sítio. O grupo está analisando e estudando essa possibilidade. Obrigada pelo interesse!

  11. Tânia. Parabéns pelo blog. Continue firme divulgando “em notícias” este modo alternativo de exploração da agricultura. Pena que os órgãos informativos que você citou findaram e até certo dia eu perguntei a uma pessoa que estava oferecendo assinatura da Veja , se ainda tinha na editora abril o Guia Rural Abril de Agricultura Orgânica. Não fui feliz porque ela não sabia informar.Que pena.
    Quanto a ideia de uma Fundação para resolver o que fazer do sítio, acho excelente e torço para que esta comissão saia feliz na solução a ser adotada.
    Abraço.
    Att. Murilo

  12. Jackson Pontes Vasquez permalink

    Tania. Parabéns pela reportagem. Sou agrônomo trabalho com agricultura orgânica a 12 anos, conheço muito, de nome, a Srª Ana Primavesi e realmente precisamos encontrar alguém especial para comprar esse sítio.
    Um organismo agrícola, não se faz de um dia para o outro. Com certeza, ali se tem um ambiente equilibrado; fisicamente, biologicamente e espiritualmente.
    Estarei te acompanhando.

    Atenciosamente

    Jackson

    (Ubajara – CE)

  13. Virgilio permalink

    Olá Tânia parabéns pela nova empreitada, confesso que fiquei impressionado, matéria linda!!

    Virgilio- Feira orgânica da AAO –

  14. Maristela permalink

    Gente, que bom que estamos caminhando. Com a ajuda de todos conseguiremos dar continuidade ao trabalho fantástico da Drª Ana Primavesi. Parabéns pela matéria Tânia!
    Abraços a todo(a)s e até breve!!

    MariStela

  15. E como está a situação? Imagino como deve estar o coração de Ana, longe de seu sitio! Aqui no RS, temos um outro ícone, JOSÉ LUTZEMBERGER, o Lutz, que também foi um defensor nos mesmos moldes de Ana. Percorreu o mundo, fundou a Fundação Gaia e hoje os seus amigos e sucessores tocam em frente os projetos. Seu corpo (conforme seu desejo), está enterrado sob um pé de Umbu, em plena significância.
    Querendo, conheça o artigo que fiz sobre Ana no Blog Compromisso Consciente. Desejo dar continuidade ao tema, após saber do encaminhamento dado ao sítio. Se possível.
    Abraços e Parabéns pelo blog, pelo trabalho, pela sensibilidade!
    Marise Jalowitzki
    Porto Alegre – RS

    • Marise, no dia 30 será feita outra reunião com as pessoas envolvidas no tema. Então farei outro post, para consolidar as decisões tomadas. Aguarde e obrigada pelo comentário!

  16. jose augusto f de moraes jr permalink

    Parabéns pela matéria.Desejo sorte à Dona Ana e à sua área que venha a encontrar uma pessoa que de continuidade a este trabalho tão bonito.

  17. Eduarda M F de Moraes permalink

    Gostei muito do texto, da emoção que carrega. Vou acompanhar o desenrolar da história e seu blog! Parabéns!!!

  18. José Buffo. permalink

    Bom dia, boa tarde, conforme a hora: olha só que engraçado. Sou de Curitiba, e procuro exatamente uma terra que tenha história, orgulho e carinhos embutidos para empreender uma proposta de vida agroecológica. É claro que pelo tamanho e tudo o que esse sitio e pessoa oferecem, está muito além do que sonho, pretendo e posso pagar. Mas se entre as idéias propostas , prevalecer a de uma “vaquinha orgânica” para, quem sabe, juntos, se construir uma nova etapa dessa história ali, contem comigo.
    José Buffo, telefone 41 – 88155591 email: buffo234@hotmail.com

    Abraços.

    • Ok, José. Vou encaminhar esta sua mensagem para o grupo que está cuidando do assunto. Obrigada.

  19. É isso, querida. Que tal voltar no sítio da Bocaina e conferir minha horta orgânica? Cada vez maior, brijos

  20. Gerson Meira Ramos permalink

    Parabéns pela história. Gostaria de enviar-lhe um rascunho de projeto que estou elaborando, está em estudo ainda, é um parque. Quero suas sugestões, criticas, opiniões, tenho certeza que irá contribuir muito para o aprimoramento dele. Se for possível, meu e-mail ger44@pop.com.br.
    Desde já, muito obrigado.

  21. Luis Costa permalink

    Alguns momentos nunca mais se repetirão.São únicos.
    Que encontro belissimo! Que história belíssima! Bravo! Parabens!

  22. Oi Tania, boa empreitada pra vc.
    bj
    Alonso

  23. Fernando Paganella permalink

    Oi, poderiam fazer uma cooperativa lá, vários compradores, alguns adotariam a àrea para cultivo.
    se eu puder ajudar gostaria de saber qual a área em questão e qual o valor ?

    • Olá, Fernando. A área em questão, como eu disse no blog, são 96 hectares. Com casa, piquetes para gado, uma lavoura de café, um pouco de milho e 5 nascentes. O valor, sinceramente, fiquei constrangida de perguntar a dona Ana Primavesi, que não está exatamente confortável em vender o sítio. De todo modo, na sexta-feira estaremos na reunião e vou fazer outro post a respeito. Quem sabe daí tiramos o valor. Não sei se o post traduziu isso, mas há um valor histórico e ambiental importantíssimo envolvido aí. De todo modo, levarei sua sugestão à reunião e obrigada pelo comentário.

    • Pink permalink

      Adorei a idéia do Fernando Paganella, a propòsito tania, perdoe a minha ignorancia, mas nao existem cooperativas organicas e auto-sustentàveis por aì?

      Bem, começo por enquanto a estudar o site da AAO.

      Boa sorte com o seu blog e bom 8 de março.

    • Olá, Pink. Obrigada pelo 8 de março! Então, sobre a ideia de Fernando Paganella, levei à reunião que ocorreu na casa de dona Ana Primavesi. Foram discutidas várias alternativas, entre elas uma Fundação que obtivesse recursos para gerir o sítio e mantê-lo com todos os princípios ensinados por dona Ana. A solução, porém, ainda está em debate. Assim que o grupo fechar uma proposta, vou noticiar. Mas pode deixar que também levarei a sua proposta para o grupo também. Obrigada.

  24. Excelente, Tânia! Só a foto que você postou é incrível, mas aí você cativa de vez com um texto num tom lindo, emocionante. Conte comigo para divulgá-lo, já já estará divulgado nas redes sociais do IDS e na minha timeline. Um grande beijo, Carol

  25. Tânia, querida, que bom te rever por aqui, saudade dos velhos tempos de colegas-foca do Guia Rural. Tenho certeza que teu trabalho continuará brilhante útil e reconhecido como merece.

  26. Angela Trabbold permalink

    Tânia,

    Tem gente que escreve com técnica. Você adiciona alma. Excelente começo pra quem pode fazer a diferença em meio a tanta informação vomitada pela imprensa.

    Angela Trabbold

  27. Tânia, querida, que prazer te rever por aqui, que foto linda, que saudade daqueles nossos tempos de colegas-focas no Guia Rural.
    Tenho certeza que o teu trabalho continuará brilhante, útil e reconhecido como merece.

  28. Oi Tânia, fico feliz por você tocar o blog, e assim, propagar de forma inteligente e descolada ideias importantes em um mundo cada vez mais voraz. À dona Ana, um grande abraço e parabéns. Beijos, Gorete

    • Obrigada, Gorete! A ideia é fazer o que eu sei: jornalismo. Com o assunto específico de orgânicos. bjs.

  29. anak permalink

    as calças santropeito eram supertendência. beijo!!!

  30. anak permalink

    as caças santropeito eram supertendência. beijo!!!

  31. Fernanda Yoneya permalink

    Tânia, parabéns pela reativação do blog! E que foto legal! Beijo.

  32. neusa ramos permalink

    Tania, uma ótima história. Excelente estréia. Até eu iquei com vontade de comprar o sítio….

  33. Adorei o post, boa sorte com o blog. Beijos.

  34. Virgínia Mendonça Knabben permalink

    Tânia

    Que texto lindo…Me emocionei, de verdade….

    Acredito que ele possa nos ajudar a ajudá-la…

    Obrigada

    Até sexta

    Um grande beijo pra vc

    Virgínia

Trackbacks & Pingbacks

  1. Fundação, com recursos privados | Ana Primavesi
  2. Fundação, com recursos privados. A solução para o sítio de dona Ana. Quem se habilita? « Orgânicos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: